TOP ≈10 – Vilões de Hitchcock

Os filmes de Alfred Hitchcock sempre foram recheados de heróis em apuros, belas donzelas em perigo e vilões memoráveis. Aqui está o TOP ≈10 de melhores antagonistas criados pelo Mestre do Suspense.

1. Lars Thorwald (Raymond Burr), em Janela Indiscreta (Rear Window). Ele pode não ser o vilão mais completo, ou o que põe mais medo, mas com certeza é o mais efetivo. Na maior parte do tempo o vemos de longe e só possui uma fala, já perto do final, contudo o tememos profundamente.

2. Norman Bates (Anthony Perkins), em Psicose (Psycho).  Um vilão muito mais próximo do terror do que do suspense. Aparece em uma das cenas mais conhecidas e marcantes da história do cinema.

3. Alexander Sebastian (Claude Rains), em Interlúdio (Notorious). Rains, excelente ator, mostrou na quintessência da obra hitchcockiana o exemplo de vilão sofisticado, muito imitado desde então.

4. Bruno Antony (Robert Walker), em Pacto Sinistro (Strangers on a Train). Walker deu interpretou com vigor o lunático Bruno no filme mais expressionista do diretor.

5. Charlie Oakley (Joseph Cotten), em A Sombra de uma Dúvida (Shadow of a Doubt). Um dos poucos casos, dentro da filmografia de Hitchcock, no qual acompanhamos o vilão, ao invés dos mocinhos, mas logo somos seduzidos pela presença de Charlotte (Teresa Wright). Até que ponto torcemos pelo protagonista, mesmo que ele seja mau?

6. Praticamente tudo que tem asas e não é avião, em Os Pássaros (The Birds). Aliás, graças às inovações em efeitos especiais empregadas pela equipe técnica, os pássaros são muito mais convincentes do que os atores humanos. A cena do parquinho é memorável.

7. Phillip Vandamm (James Mason) e Leonard (Martin Landau), em Intriga International (North by Northwest). Mason dá vida a outro vilão sofisticado, mas desta vez com o acréscimo de Leonard, seu capanga, que parece ter algo mais do que respeito por seu chefe. Não seria o primeiro caso de vilões com relação homoafetiva; em Trama Macabra (Rope), do próprio Hitchcock, os personagens são claramente homossexuais. Até a franquia James Bond já flertou com essa possibilidade, em 007 – Os Diamantes São Eternos (Diamonds Are Forever), com Mr. Kidd e Mr. Wint.

8. Tony Wendice (Ray Milland), em Disque M Para Matar (Dial M For Muder). Alguém que planeja matar alguém tão bonita quanto Margot (Grace Kelly) não merece qualquer simpatia, mas a interpretação de Milland como patife é excelente.

9.  Gavin Elster (Tom Helmore), Madeleine Elster (Kim Novak) e John ‘Scottie’ Ferguson (James Stewart), em Um Corpo que Cai (Vertigo). Neste filme, tido por muitos como um dos melhores do cinema mundial, o personagem de Stewart é perseguido por um complô contra si e por seus demônios psicológicos. Atua, portanto, como o próprio vilão.

10. Brandon Shaw (John Dall) e Phillip Morgan (Farley Granger), em Festim Diabólico (Rope). Outra situação em que não sabemos se torcemos pelos vilões ou contra eles, uma vez que são também os protagonistas.

Agora quero saber tua opinião: qual desses vilões listados crês ser o melhor? Se tiveres outro personagem em mente, fica à vontade para acrescentar. Participa!

Obs.: O TOP ≈10 é baseado em parte em pesquisas de fontes seguras, em parte em minha opinião, e raramente terá exatas 10 colocações, salvo por coincidência, pois não acredito em listas fixas. Fica livre para dares a própria opinião a respeito. Muito obrigado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *